27 outubro 2013

Filmes, filmes e mais filmes!

La Ventana (A Janela)
Diretor: Carlos Sorín
Produção de Argentina e Espanha, 2008.

Mais imagens aqui.



Sinopse: O último dia da vida de Antonio, escritor de 80 anos de idade que aguarda a visita de seu filho em sua fazenda no norte da Patagônia (fonte).

Acho que já posso afirmar que adoro o cinema Latino-Americano. Diferente do ritmo geralmente agitado dos filmes "da moda" de Hollywood, são mais poéticos na minha opinião. Segundo o site 50 Anos de Filmes, é uma história de silêncios - o que concordo plenamente. Silêncios, esperas, despedidas e reencontros. Lindo e sensível.



Aku no Kyôten (Lesson of the Evil)
Diretor: Takashi Miike
Produção japonesa, 2012.




Sinopse: Um professor popular possui um plano extremista para lidar com o crescimento de bullying e mal comportamento entre seus alunos (fonte - dá para assistir ao filme online e com legendas por este endereço).

Filme baseado em livro de mesmo nome, de Yûsuke Kishi. A sinopse engana. Muito. Na verdade, não posso dizer muita coisa sem o risco de dar spoilers, mas pra quem gosta de suspense, maldade e loucura é um prato cheio. Embora tenha um clima sombrio, achei uma história inusitada e que prende o espectador. Deu a entender que terá continuação. Será?



The Conjuring (Invocação do Mal)
Diretor: James Wan
Produção estadunidense, 2013.



Sinopse: Baseado em uma história real, o longa se passa em uma casa mal assombrada, para onde uma família liderada por Lili Taylor e Ron Livingston se muda. Quando fica claro que uma entidade obscura os está perseguindo, eles chamam os investigadores paranormais Ed e Lorraine para ajudar (fonte - mesmo endereço para ver online e legendado).

Quando um amigo comentou sobre esse filme, não dei muita bola, mas todos sabem que eu gosto de filmezinho de assombração e tal, então fui assistir. Bem no estilo "Paranormal Witness", sabem? Apesar do começo da história ter me dado um susto de pular da cama (sonoplastia boa), achei que tiveram algumas partes desconexas ou desnecessárias na trama. Apesar de ser um filme bom, não é "oh, que sensacional". Enfim, minha opinião, né?


Stoker (Segredos de Sangue)
Diretor: Chan-wook Park (ele é sul-coreano)
Produção anglo-estadunidense, 2013.




Sinopse: Após a morte do pai, a adolescente excêntrica India Stoker começa a conviver com o tio Charlie, que ela nem sabia que existia. O homem tem um caso com a venenosa mãe da garota, Evelyn Stoker e ainda carrega segredos obscuros sobre o destino da menina (fonte).

Fiquei tentada em assistir depois de uma resenha no blog Goticity, da Camila Mateus. Encontrei pra assistir online e legendado em português no Filmes Online Grátis, porque não tive competência para conseguir pôr a legenda no arquivo que peguei no tal Torrent. Digamos que é um filme sobre descobertas - do passado, das tendências pessoais, do futuro... Sob uma visão romântica demais até, para o tema - aí está a diferença. Só fiquei um pouco revoltada com o fim, pois a pessoa não merecia o que aconteceu, achei "meio" cruel (ranço de Dexter). O falecido pai da guria também foi um vacilão, votecontá... Mentira, não contarei não, assistam!

6 comentários:

  1. Curti a sinopse do Lesson of the evil, tem cara de filme trash. Então, sobre segredos de sangue, realmente o pai tentou tapar o sol com a peneira, mesmo tendo boas intenções. Acho que a história se tornaria apenas mais um besteirol americano se não fosse a direção do Chan-Wook.

    E pra minha vergonha ainda não assisti Invocação do Mal. Vergonha vergonha!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vai gostar de Lesson of the Evil! :)

      Excluir
  2. Aiiiin... não consigo me lembrar da última vez que assisti um filme. =( Que droga essa vida corrida. Afff...

    Concordo com a poesia dos filmes latinos, excluindo os brasileiros que têm "realidade" demais pro meu gosto. Enfim... gosto do cinema indiano, tirando a parte musical irritante da coisa. =P

    Beijocas.

    ResponderExcluir
  3. Poxa, não deu pra relaxar nos dias do tornozelo machucado?
    Tem uma adaptação de Érico Veríssimo nos cinemas agora, não vi e nem li a obra, mas gosto de outros livros do autor. Parece que não tem "realidade demais" (se vc se refere a violência, sexo, drogas, miséria).
    Os filmes indianos antigos que eu já vi não tinham musiquinhas malas, ou bem poucas. Acho que essa moda é coisa mais recente, hahaha.
    Bjo

    ResponderExcluir
  4. Então... me arrepiei só de ler o post!
    Não assisto esses filmes de jeito nenhum!!
    =x
    #medrosa

    ResponderExcluir

Sintam-se a vontade para comentar! Sua opinião é muito importante e faz o blog melhorar.

Ocorreu um erro neste gadget